Ocorreu um erro neste gadget

domingo, outubro 31, 2010

Sweet Dreams, little sister.

Eu poderia te dar o mundo pra não ver você chorar
Mas esse é o nosso mundo, criança,
e não tem como nos colocar em uma redoma
Quando você não está por perto.

E eu só queria poder te proteger, de onde estou
Poder te abraçar enquanto você chora
Mas eu só posso te pedir para parar de chorar.

Então me ouça, uma única vez
Nós estamos bem, está tudo bem
É difícil ser presença quando se está longe
mas nós sempre estaremos juntas, de alguma forma
e ninguém vai nos machucar
Nós podemos nos defender
Isso não vai mudar
Mas nem por isso vamos parar de querer.

Bons sonhos, criança.
Sonhe com um país melhor
E com dias mais claros de verão
Onde a vida seja mais parecida
com o sonho que ainda não pudemos realizar.

quarta-feira, outubro 27, 2010

Algumas coisas são necessárias.
Mas a maioria delas, devemos simplesmente esquecer.
Fingir que simplesmente não aconteceram...
Hoje eu resolvi que vai ser assim que vou lidar com o que ainda me machuca...



Tudo é dor, e toda dor, vem do desejo de não sentirmos dor.

segunda-feira, outubro 18, 2010

Tem sempre um bom motivo pra estarmos chateados na segunda-feira. Se não tiver nenhum, a gente inventa. Na verdade, se não tivermos motivo nenhum pra nos chatear, sempre conseguimos algum. É a vida. Só estamos 100% realizados quando arranjamos uma desculpa para detestarmos o mundo, quando temos um motivo para nos irritar, para detestar alguém, para detestar algo. Na verdade os homens são bons detestadores de coisas.

quinta-feira, outubro 14, 2010

Hoje tem cada detalhe no lugar, exatamente como deveria ser. Mas depende das nossas escolhas pras coisas acontecerem.
Hoje tive um sonho não tão bom... Mas depende do ponto de vista. Alguns poderiam pensar que acerca dos meus pesadelos, este não tenha sido um sonho realmente ruim: apenas uma faísca de insegurança. Mas cada um dá as coisas um grau de preocupação diferente, e eu não sou diferente nesse quesito. Preocupo-me demais com coisas que não valem tanto assim, e de menos algumas vezes com as que realmente importam.
Acordei depois do despertador insistir comigo. Se não fosse meu celular, talvez eu tivesse jogado ele na parede. Me arrumei, porque vir trabalhar de pijamas não estava nos planos. Estava pra sair de casa quando minha mãe ligou, me lembrando de algo que eu devia me preocupar. Droga. E eu me preocupando com coisas fúteis. Daí eu lembrei a porcaria de pessoa que eu sou.

segunda-feira, outubro 04, 2010

Changing... again and again...




Existem tantas coisas sobre mim que eu nem aprendi ainda! E passos... cada passo que eu ainda não dei... tanta coisa. Eu sou uma mudança constante. Eu amo isso. Talvez seja o melhor que já descobri de mim: ficar descobrindo coisas. É extremamente incrível o poder de mudar. Mudar de vida, mudar de pensamento, mudar fisicamente, mudar inteiramente. E aquela parcela de mim que permanece imutável, como uma velhinha rabugenta dentro de mim, preferindo tempos que já se foram. Essa luta constante dentro de mim é que me faz um ser inconstante, um tanto irresponsável algumas vezes. Mas eu não teria aprendido nem metade do que eu já aprendi se nunca questionasse a minha lucidez e minha constância.